Minha experiência com a AMAMENTAÇÃO

Oi!
Eu sempre achei que amamentar fosse algo absolutamente normal, afinal somos seres mamíferos.
Quando engravidei passei a ter mais contato com outras grávidas, mães, profissionais da área de saúde, contatos com grupos de discussão na internet, e fui descobrindo aos poucos que o amamentar não é tão "óbvio" quanto parece.
Muitas mulheres não podem, outras não conseguem, outras simplesmente não querem amamentar. Não estou aqui para julgar ninguém, mas para contar um pouco do que foi essa experiência para mim.

Antes do nascimento dos babies a minha GO orientou que eu deveria passar um bucha grossa nos mamilos durante o banho, mas sem esfregar muito, para não estimular contrações uterinas. Também orientou que eu deveria tomar 5 minutos de sol nos mamilos, coisa que não fiz por pura preguiça.
Meus babies nasceram às 17:00h, foram direto para o berçario, pois estavam grandes e saudáveis. Às 23:00h eles já estavam no meu quarto e a enfermeira perguntou se eu queria amamentar - ainda não tinha leite, mas o colostro, que também alimenta o bebê. A enfermeira me passou meu garotão Miguel, mostrou como eu deveria colocar o bico do seio e a auréola na boca do bezerrão e ... tcham! Lá estava ele todo todo se alimentando. Foram cerca de 25 minutos de amamentação, e no outro seio foi colocado em seguida minha princesa Rute. Confesso de chorei um pouco, mas de pura emoção por ter dois filhos nos meus braços e amamentando.
A primeira sucção não era fácil, eu sentia algumas agulhadas no seio, mas que sumia cerca de 30 segundos depois. Por serem dois babies, fui orientada na maternidade Pro Matre, e depois também pelo nosso pediatra, que eu deveria amamentar um em cada seio, e depois dar complemento (NAN), e assim eu fiz.
Não aderi a livre demanda (o bebê mama sempre que quer, o quanto quer), mas amamentava a cada 3 horas, 20 a 25 minutos no seio, inclusive nas madrugadas, seguido sempre de mamadeira. Muitas e muitas madrugadas eu estava "podre" de sono e cansaço, mas dá para contar nos dedos de uma mão quantas vezes eu dei só a mamadeira. Meus marido e minha mãe às vezes falavam para mim que eu deveria descansar mais, mas eu pensava: "Esta fase de amamentação passa tão rápido, mas é muito importante para meus filhos, não vou desistir, eles precisam de mim."
Miguel nasceu um pouco menor que a Rute (ele com 2.760 kg, ela com 3.030 kg), mas logo o picorruchão ganhou mais peso que ela, sempre foi um esfomeado.
Para facilitar a amamentação e não rachar o seio, um grande aliado meu foi a pomada Lansinoh - é muito bom, hidrata mesmo, facilita a "pega" do bebê, recomendo. Depois de cada mamada eu limpava os seios com um pouco de água, aplicava a pomada para deixar os seios protegidos. Quando eu esquecia de passar o Lansinoh, sentia um pouco de dor ao amamentar.
Meu objetivo era amamentar no mínimo até 6 meses, no máximo por 1 ano - consegui até os 6 meses dos pequenos, mas quem parou foram eles, não eu. Foi diminuindo pouco a pouco o tempo das mamadas, a ponto deles ficarem só brincando comigo, mexendo de lá para cá, e nada de mamar. Chorei de tristeza quando meus filhos deixaram de mamar, mas também senti alegria por ter cumprido minha "missão" de mamífera.
Várias pessoas já me perguntaram se eu amamentava os dois ao mesmo tempo; sim, fiz isso mas pouquíssimas vezes, pois não é nada prático. Um bebê mexe, o outro perde o bico, um começa a escorregar dos braços, aí o outro chora... O negócio é amamentar um de cada vez mesmo. Amamentar dois ao mesmo tempo só é bonito para fotos, mas de praticidade não tem nada.
Achei extremamente prazeroso amamentar, um privilégio, uma entrega de amor. É um momento íntimo e divino entre mãe e filho. Em todas as mamadas eu aproveitava para conversar com meus filhos, fazer carinho na cabecinha e no corpo deles, aproveitei muito para aumentar os laços de afeto e amor com eles.
Por fim, deixo meu recado: se você pode e quer amamentar, viva esse momento divino, jamais você vai esquecer o quanto foi bom ter seu(s) filho(s) nos braços. 
E você, amamentou ou amamenta? Conte um pouco da sua experiência.

14 comentários:

Marilyn disse...

Delícia... eu ainda amamento Sofia com 1 ano e 6 meses... amoooo, estamos fazendo o desmame noturno, e penso q qdo chegarmos no processo total de desmame eu sofrerei mais com toda a certeza!!!!

Sandra Castro disse...

Olá linda! Que saudades!
Eu também amamentei o Hugo até aos 8 meses e estou muito feliz com isso.
É um momento sem comparação e de ligação entre mãe e filho.
Beijinhos corridos

Bia disse...

Mimi,
muito lindo!!!! Eu tbm tive esta dadiva de poder amamentar, é um momento mágico e só nosso.
bjos Bia

Anônimo disse...

Olá!! Que bom saber q estão bem!! Eu tb amamentei até os 6 meses (sendo q até os 4 nem água ele tomava) e tenho certeza q ter feito isso resultou em um garotão super saudável de 13 anos q só precisou de antibiótico 1x na vida!!
Sinto a maior saudade do momento da amamentação q no início foi difícil até formar o bico, pegarmos o jeito, mas depois, só alegria e muito amor!!
bjão....fiquem com Deus!!
Flávia Pan

Daniella disse...

Oi querida!
Lindo o seu post, fiquei emocionada!
Realmente amamentar é maravilhoso!
Graças a Deus, estou tendo o privilégio de poder amamentar a minha filha e estou me sentindo completamente realizada, plena!
Estou no céu!
Beijo grande em vc e nos babies!

Vanessa Caubianco disse...

Mimi, parabéns!!! Só quem é mãe de gêmeos sabe como é difícil amamentar dois!
Eu amamentei só 20 dias. Depois ficaram só no Nam.
Tbm preparei o seio, fiz de tudo. Senti só um pouco de dor no começo, mas depois, normal. Mas os meus preferiam a mamadeira ao peito...junte isto ao meu cansaço, às noites em claro (em pleno inverno), e a uma mãe prática demais e o resultado foi um só. Ah não querem! OK!!
Hj estão lindos, fortes e saudáveis. E, o mais importante, não fiquei com remorso por isso. Ao contrário, dava a mamadeira com eles no meu colo, olhando nos olhinhos deles, como se estivesse dando o peito. Enfim, foi lindo tbm!!!

Michelle Penha disse...

Mimi vc contando a sua experiencia fui me identificando, pois vivo isso no momento com o meu Lucas de 3 meses, Desde o dia que ele nasceu ele nao saiu do meu lado e sempre que ele quer eu to ali disposta para amamenta-lo. Ainda nao sei o que eh dormir uma noite toda pois ele ainda mama de madrugada de 4 em 4, mas acordo feliz da vida para alimenta-lo e ficar admirando o meu baby. Amamentar eh tudo de bom... eh uma delicia, sem explicacao... pena que os pais ( homens) nao podem sentir essa sensacao. AMEI O RELATO E MULHERADA BORA AMAMENTAR E IMPORTANTE, BARATO E MARAVILHOSO.

Luma disse...

Oi Mimi,

eu sinto esse amor e satifação qndo minha Laurinha esta mamando tb, ela vai fazer 3 meses e pretendo amamentá-la att qndo nascer os dentinhos...

inclusive neste momento ela está mamando, rsrs

Adorei seu blog^^

Vou seguir

bjinhus

Luma- mãe da Laura
http://coisasdemaecoruja.blogspot.com/

Suzy Rêgo disse...

Mimi, fiz um post sobre mamar também, mas ficou faltando uma parte. Você foi linda, luxuosa, foi até os 6 meses!!!Eba! Eu dei de mamar várias vezes ao mesmo tempo ao Marco e ao Massimo pois eu amava fazer isso e meu maridão Fernando ajudava, mas creia: dois homens são MUITO famintos e começamos a revezar com a mamadeira. Resultado: aos 4 meses eles ficavam impacientes de esperar o irmão acabar no peito - sim - são homens - querem o peito todo para eles, rs rs rs...e assim desmamaram do peito. E olha que...bem, vou deixar para contar tudo em nova postagem no meu blog!
Parabéns, Mimi!
Beijocas,
Suzy

Cris :-) disse...

Adorei o post!
Fui até os quatro meses... queria ter ido mais, mas eles foram deixando e preferindo a mamadeira.
Eu amava amamentar, que momento precioso!

Com 1 bebê deve ser bem mais simples!
Quem sabe quando o Matheus e a Luana estiverem maiorzinhos não vem mais um e consigo amamentar mais tempo?
O futuro a Deus pertence!

Bebezinhas disse...

Mimi, eu ainda amamento o Júlio, com um ano e 4 meses e a primeira, agora com 3 anos e meio, amamentei até os 2 anos. Uma coisa é certa, amamentar é uma delícia mas a gente tem que querer muito! Passei por cada uma durante a amamentação do Júlio. Da Lara foi relativamente tranquilo amamentar...
Tive dores há pouco tempo a ponto de ir para o hospital na madrugada (isso faz uns 2 meses) tomar altos medicamentos, para aliviar a dor insuportável (e olha que para mim insuportável deve ser considerado sério pq meus filhos nasceram naturalmente, o segundo em casa - e para mim foi mega tranquilo). O médico chegou a receitar remédio para secar o leite! vai vendo!! não tomei e consegui levar a amamentação adiante. Cá estamos ainda. E amo muito isso tudo - apesar dos 'perrengues' pelo caminho. *rs
Bjocas

Kel disse...

Flor, acabei de reparar uma coisa, estava aparecendo um 'bebezinha' no meu perfil google... sei lá o que é... de qq forma, o post q esta'assinado 'bebezinha', é meu... *rs
bjocas

Pâmela disse...

Amamentar é tudo mesmo, é uma ligação que acontece que não tem explicação não é mesmo? Parabéns Ro!
Eu batalhei muito para amamentar. Meu leite era pouco, não fraco, pouco mesmo. Usei relactador, complementei, tomei homeopatia e continuo na batalha. Graças a Deus sempre conseguíamos resolver os quiprocós. Hoje tomo duas homeopatias e a Lara mama todo dia, várias vezes - eu aderi a livre demanda por opção e depois por recomendação médica, já que a Lara nasceu de baixo peso, não tinha forças para mamar e precisava ter o peito disponível para qdo tivesse energia para querê-lo rrsrs. Amo amamentar, ela me olha eu olha ela e sinto que isso nos aproxima, sei que nos falamos pelo olhar. Pretendo continuar enquanto for bom para nós duas.
bjoss
Pam

Mariana disse...

Roberta!!
Só li hoje teu post sobre amamentação! Guria, muito parecido comigo né!!!!
Li tudo e parecia que eu quem tinha escrito!!!
Amamentar é tudo de bom, e eu continuo com a Carol e Mathias!!!
Tribjs

Postar um comentário